segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Remédio para o desamor

(Outro ídolo total meu!)

Cordovero, ademais de ser responsável pelo surgimento de um dos maiores e mais influentes centros cabalísticos, foi autor de alguns trabalhos fundamentais.

Um dos que mais me fascina é o Tomer Devorah (A Tamareira de Débora). Nele, temos um importante instrumental para dominarmos o ego, que são os 13 Atributos da Misericórdia.

Recitar os 13 atributos ao acordar e antes de dormir, assim como estudá-los e esforçar-se em desenvolvê-los, são passos importantíssimos para a redenção do mundo.

Estes são os atributos a serem recitados:

Adonai — compaixão perante os pecados de uma pessoa;
Adonai — compaixão depois que uma pessoa pecou;
El — poderoso em compaixão ao prover todas as criaturas de acordo com suas necessidades;
Rachum — misericordioso, de forma que a criação não caia em aflição;
Chanun — indulgente se a criação já estiver em aflição;
Erech appayim — lento a se irar;
Rav chesed — pleno de misericórdia;
Emet — verdade;
Notzer chesed laalafim — extendendo misericórdia a milhares;
Noseh avon — perdoando a iniquidade;
Noseh peshah — perdoando a transgressão;
Noseh chatah — perdoando pecados;
Venakeh — e perdoando.

Esta é a sugestão da Everburning Light para desenvolvimento diário destes atributos:

1 - Paciência diante dos insultos;
2 - Paciência para suportar o mal;
3 - Perdão ao ponto de apagar o mal sofrido;
4 - Total identificação com o próximo;
5 - Completa ausência de ira, combinada com a ação apropriada;
6 - Perdão, ao ponto de se recordar apenas as boas qualidades daquele que os tormenta;
7 - Eliminar todos os traços de vingança;
8 - Esquecer o sofrimento que nos foi imposto pelos outros e recordar apenas o bem que nos foi feito;
9 - Compaixão pelos que sofrem, sem julgá-los;
10- Verdade;
11- Piedade além do prescrito pela Lei com os bons;
12- Guiar os maldosos no Caminho do Bem, sem julgá-los;
13- Recordar de todos os seres humanos na sua ingenuidade infantil.



9 comentários:

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Bom dia!

Mais uma vez, amiga, parabéns pelo excelente tema que, consecutivamente, que veio compartilhar.

A atitude misericordiosa para com os inimigos é algo que se contrapõe à então denominada "lei do talião" que, incrivelmente, não foi recepcionada pela Torah em sua essência, ao contrário do que muitos que não conhecem a instrução pensam.

A Torah nos ensina que não devemos guardar rqancor e nem nos vingarmos contra os nossos irmãos, mas sim amarmos o próximo (Vaicrá 19.18) e, se o boi de nosso adversárioestiver precisando de ajuda, não podemos nos omitir em socorrer o animal.

Penso que é nos inspirando na atitude paciente do Eterno para com o homem que podemos mesmo aprender a sermos misericordiosos com nossos semelhantes. Pois o abrangente amor divino estende-se sobre o bem e o mal, o justo e o injusto, sendo universalmente desinteressado e generoso.

David, embora orasse com imprecações, foi um homem que agiu pacientemente em relação a Saul. Como um príncipe de coração nobre, ele jamais atentou contra a vida do ungido que o antecedeu nas chances que teve, mas esperou que o Todo Poderoso a seu tempo cuidasse de sua causa.

O sol e a chuva vem para justos e injustos (Yeshua), assim como as tragédias não fazem acepção de pessoas (recentemente a cidade de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio de Janeiro, foi palco de uma terrível tragédia que deve ter assistido na TV). E por que uns escaparam e outros não, nenhum homem poderá dizer exceto pelas explicações técnicas (efeito estufa e ocupação de áreas de risco).

Contudo, a misericórdia divina foi com todos os que sobreviveram, mostrando a nobreza de caráter do Rei Eterno cujos propósitos são incompreensíveis pela mente humana e seu amor incomparável.

Bendito seja Ele!

Ariel Shem Tov disse...

Exatamente. Obrigada pelo comentário completíssimo.

O Amor Incondicional é um atributo mais elevado do que a Justiça, embora um complemente o outro. E, quando equilibrados, geram a Beleza.

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Como diz o lindo Salmo 85...

"O amor e a fidelidade se encotnrarão;
a justiça e a paz se beijarão.
A fidelidade brotará da terra,
e a justiça descerá dos céus"
(versos 10 e 11; Nova Versão Inernacional - NVI)

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Em tempo! Parece que seriam os versos 11 e 12 do Salmo 85. Na tradução de David Gorodovits e de Jairo Fridlin diz no tempo pretérito:

"A bondade e a verdade se encontraram,
a justiça e a paz se uniram.
Da terra brotará a verdade,
e, do céu, a justiça despontará."

Penso não haver tempo cronológico para o acontecimento revelado em Tehilim e, sem dúvida, a passagem relaciona-se com a obra do Mashiach.

Ariel Shem Tov disse...

Ótimo trecho! Adorei!

Ariel Shem Tov disse...

Com relação ao 13o. comentário do Fabrizio (Everburning Light), tenho feito um exercício para conseguir levar numa boa os meus desafetos e praticar os 13 atributos. Me inspirei numa música do Arnaldo Antunes, "Saiba":

"Saiba,
Todo mundo foi neném
Einstein, Freud e Platão também
Hitler, Bush e Sadam Hussein
Quem tem grana e quem não tem

Saiba:
Todo mundo teve infância
Maomé já foi criança
Arquimedes, Buda, Galileu
e também você e eu"

Se vc imaginar aquela pessoa mais execrável na sua mente e conseguir visualizá-la quando ela era um neném, como todos os detalhes delicados e indefesos de um neném, vc consegue, nem que seja por alguns minutos, ter compaixão dela.

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Shalon, amiga! Oportuna citação do Arnaldo Antunes que você colocou!

Não será a compreensão o primeiro passo para a atitude de perdão ao próximo?

Se mentalizo a tenra infância de alguém, compreendo a sua humanidade e consigo estabelecer alguma identificação.

Ariel Shem Tov disse...

É isso aí!

Cabeça Feminina disse...

Achei seu blog mt interessant e estou seguindo-o

qnd pudr, de uma pssadinha no meu?

bjoos

e parabens pelo blog!!!


http://cabecafeminina.blogspot.com